Deputada do PS falsificou documento assinando-o com o pseudónimo “Rui Rangel”

Mário Botequilha 25 de Setembro de 2020

O colega José António Cerejo, do nosso suplemento PÚBLICO, adianta hoje mais coisas boas sobre a deputada socialista (e vice-presidente da bancada parlamentar) Hortense Martins. Parece que o Ministério Público acredita que Hortense falsificou um documento de modo a não ser acusada no processo do seu marido e ex-presidente da Câmara de Castelo Branco, prestes a ir a julgamento. O IP foi investigar mais fundo (telefonámos a Jorge Coelho) e sabe que a alegada Hortense prestou alegadas falsas declarações e que, não contente com isto, assinou alegada papelada com o alegado nome artístico “Rui Rangel” (e também usava “Melania Trump”, “Fernão Ferro” ou “Painel de Informação de Combustíveis”).

Tópicos

Últimas

Do arquivo