Cada português tem de dar um rim e meio ao Novo Banco

Mário Botequilha 28 de Julho de 2020

Está no contrato de venda e não há volta a dar: depois de mais uma venda de imóveis à campeão, denunciada hoje pelo nosso suplemento satírico PÚBLICO, o Novo Banco já deu entrada dos papéis para que cada contribuinte português tenha de se chegar à frente, em média, com um rim e meio e a marquise onde dorme a avó, ou a avó e a marquise, ou a avó e o rim e meio. É à escolha.

Tópicos

Últimas

Do arquivo