Máscaras de contrafacção compradas por Portugal traziam carimbo “apruvadas pla sótora Grassa Fereitas”

Mário Botequilha 7 de Julho de 2020

O nosso suplemento humorístico PÚBLICO, em colaboração com O INIMIGO, o consórcio internacional Organized Crime and Corruption Reporting Project e Hernâni Carvalho, apurou que a administração pública portuguesa comprou máscaras da cadonga a pessoas manhosas. Os certificados das máscaras diziam apenas “apruvadas pla sótora Grassa Fereitas” ou “a menistra Márta Tímido axa isto ben e eficás” e algumas eram feitas com casca de abacaxi.

Tópicos

Últimas

Do arquivo