Nazis hipsters estão a inscrever-se no PNR, pois o Chega está a ficar demasiado mainstream

João Henrique 20 de Fevereiro de 2020

O partido de André Ventura tem conseguido atrair muitos delinquentes da política, como neonazis e saudosistas de Salazar, mas depois de alcançar o PCP nas intenções de voto, muitos militantes começam já a questionar o preço deste sucesso tão repentino. “Eu curtia o Chega quando tinha 1%. Aquela fase entre as Europeias e as Legislativas foi a melhor. Era um partido de nicho que mandava bocas no Facebook sobre a corrupção e tinha poucos apoiantes. O André Ventura está a ficar demasiado conhecido e perdeu a essência do início. Vendeu-se ao fascismo pop e está ficar demasiado comercial. Agora todos os meus amigos são fãs do Chega, não tenho mais paciência. Quando era só eu é que era fixe. Decidi voltar às origens. O PNR é um partido que pratica aquele fascismo artesanal e rústico que eu gosto. José Pinto Coelho é um dos últimos puros, faz a cena dele, não pensa nos likes e não se vende”, revelou o novo militante do PNR.

SIGA-NOS NO INSTAGRAM

Tópicos

Últimas

Do arquivo