CGTP marca jornada de luta para colocar Arménio Carlos no Panteão Nacional

Vítor Elias 17 de Fevereiro de 2020

A CGTP não quer saber de condecorações do Governo ou de Marcelo Rebelo de Sousa. A intersindical acha que Arménio Carlos deu muito mais ao país do que Amália Rodrigues e Eusébio, que nunca souberam o que é ser obrigado a fazer ponte depois de uma greve à quinta-feira, pelo que exigem Arménio Carlos no Panteão Nacional. Arménio Carlos nega qualquer honraria particular e quer apenas voltar ao trabalho que interrompeu para ser sindicalista, quando se lembrar qual era.

Tópicos

Últimas

Do arquivo