Mulher de banqueiro recebia 2 mil euros para lhe dar “apoio emocional” e a cadeira dele recebia o dobro pelo “apoio lombar”

Mário Botequilha 26 de Dezembro de 2019

Os banqueiros vivem numa realidade paralela. Os nossos colegas do JN noticiam hoje que a mulher de Licínio Pina, presidente do Grupo Crédito Agrícola, recebia uma subvenção mensal para dar “estabilidade emocional” ao marido. Além dos 2 mil euros líquidos mensais pelo apoio emocional da esposa, sabem o INIMIGO e o Registo de Episódios Tristes da Desfaçatez dos Gestores de Topo, o banco também pagava 4 mil euros a uma cadeira ergonómica, pelo apoio lombar que prestava ao Dr. Licínio, e cerca de 500 euros por semana a uma calçadeira que ajudava o Dr. Licínio a enfiar o pézito no sapato.

Tópicos

Últimas

Do arquivo