Contribuintes dizem que não há cu para escola minhota que quer comprar um carro de luxo com bancos aquecidos

Mário Botequilha 6 de Dezembro de 2019

O nosso suplemento humorístico PÚBLICO noticia hoje que a Escola Profissional Amar Terra Verde, onde os municípios de Vila Verde, Amares e Terras de Bouro têm 49%, lançou um concurso para sacar um carrito com bancos aquecidos, um preço base de 100 mil euros e com o caderno de encargos onde constam – passamos a citar, como se diz na comunicação social séria – “cilindrada de 2998 cm3, 265 cavalos e seis lugares; pode ser novo ou usado, mas não deve ter mais de 11 mil quilómetros. (…) Volante desportivo em pele, tapetes em alcatifa aveludada e bancos dianteiros aquecidos e com massagem O sistema de escape, os travões e a transmissão automática têm de ser desportivos. Nas especificações destacam-se ainda a exigência de um painel de instrumentos em pele individual e um assistente de estacionamento plus.” – fim de citação.
O IP contactou a escola, que garante que esta é a única forma de melhorar os resultados dos alunos na leitura, ciências e matemática. Já os contribuintes, pegando no caso específico dos bancos aquecidos para traseiros sensíveis, dizem apenas que “já não há cu”. A escola recebeu mais de 13 milhões de Fundos da União Europeia.

Tópicos

Últimas

Do arquivo