Taxista Jorge Máximo também acha que a lei das incompatibilidades não deve ser interpretada literalmente

Vítor Elias 31 de Julho de 2019

Após mais dois membros do Governo terem ligações familiares a pessoas que fizeram negócios com o Estado, Augusto Santos Silva veio explicar que “seria um absurdo uma interpretação literal da lei”, sendo imediatamente secundado pelo famoso taxista Jorge Máximo que também acha que as leis são como as meninas virgens, é para não serem tomadas literalmente e levadas ao altar. De referir que o pai do ministro Pedro Nuno Santos recebeu dinheiro do Estado por fornecer Pedro Nuno Santos ao Governo.

Tópicos

Últimas

Do arquivo