Deputados autorizados a usar choques eléctricos para espevitar memória das testemunhas na comissão de inquérito da Caixa

Mário Botequilha 28 de Março de 2019

O governador do Banco de Portugal juntou-se à longuíssima lista de pessoas esquecidas e desmioladas que gostam de ir às comissões de inquérito dizer o chavão “não tenho memória”. O Bloco, ontem, acusou Carlos Costa de ter tido conhecimento dos problemas na CGD, desde 2011, e de ter ficado a olhar para aquilo enquanto coçava uma parte recôndita da sua anatomia. O governador não se lembra de nada e também avisou que não se demite, mesmo que a comissão de inquérito conclua que ele geriu o assunto da forma habitual, com os pés, e diz que espera arrebatar um globo de ouro ou um grammy ou um TV 7 Dias.

Tópicos

Últimas

Do arquivo