Congresso de Medicina Popular de Vilar de Perdizes também suspendeu convenção com a ADSE

Vítor Elias 21 de Fevereiro de 2019

Depois de vários grupos privados de saúde terem suspendido a colaboração com a ADSE, também o padre Fontes anunciou que o Congresso de Medicina Popular de Vilar de Perdizes deixará de oferecer regalias e descontos aos funcionários públicos que queiram mezinhas para permanecerem doentes e de baixa falsa, aos sindicalistas da função pública que queiram comprar ametistas para protegerem as conquistas de Abril e ao Mário Nogueira quando pretenda renovar anualmente o pacto com o Diabo que o mantém jovem e poderoso para sempre. O doutor Pedro Choy também deixará de receber pacientes da ADSE e portanto os funcionários públicos serão obrigados a fazer acupunctura nas repartições com agrafos.

Tópicos

Últimas

Do arquivo