China gasta mais na defesa: facturas de seguros, banca e eléctricas portuguesas passam a incluir a “taxa do novo porta-aviões”

Mário Botequilha 9 de Março de 2018

A China vai aumentar o seu orçamento da defesa em 8%, uma notícia preocupante para os vizinhos mas boa para uma fábrica de componentes de PVC de Leça da Palmeira que fornece as metralhadoras de 4,99 euros que equipam o exército vermelho e a loja chinesa de Porto Alto. Os portugueses vão notar esta aposta nas suas facturas de seguros, extractos bancários e contas de electricidade, que passarão a assinalar itens como “taxa do novo porta-aviões”, “contribuição para o audiovisual da frota de submarinos” ou “taxa ecológica do míssil intercontinental espectacular”. O ministro Azeredo da defesa garante que os baldios da Chamusca estão prontos para responder a todas as encomendas de material dos chineses.

Tópicos

Últimas

Do arquivo