Presentes 500 observadores da ONU na Assembleia-Geral do Sporting

João Henrique 17 de Fevereiro de 2018

O Sporting está em guerra civil e a comunidade internacional, preocupada com a instabilidade política no clube e a temer consequências sociais graves, resolveu intervir. Com muita experiência acumulada nas eleições do Iraque, Angola, Libéria e Palestina, a Missão Internacional de Assistência das Nações Unidas para a Assembleia-Geral do Sporting marcou presença hoje no Pavilhão João Rocha e tem estado durante o dia a monitorizar e a fiscalizar a contagem dos votos. A ONU vai também abrir um corredor humanitário para acolher os refugiados do Brunismo: 56 sportingados e ainda Marco Silva, José Roquette, Pedro Madeira Rodrigues, Carlos Severino, a filha do João Rocha e os jornalistas.

Tópicos

Últimas

Do arquivo