Associação Raríssimas alugava Panteão Nacional todos os dias úteis para directora ir lá almoçar

Mário Botequilha 12 de Dezembro de 2017

Há mais dados chocantes sobre a Raríssimas: uma investigação IP/Sónia Araújo/Jorge Gabriel descobriu que Paula Brito da Costa ia todos os dias almoçar ao Panteão Nacional. A directora da Raríssimas deslocava-se de helicóptero, metia pedido de ajudas de custo de milhas aéreas equivalentes a uma ida e volta Portugal/Manchúria, pendurava o casaco e a mala no túmulo de Guerra Junqueiro e ainda levava os restos num tupperware para distribuir em acções de solidariedade junto de pessoas carenciadas, como ela própria quando não tinha pachorra para sair e ir jantar a um restaurante com estrelas Michelin.

Tópicos

Últimas

Do arquivo