Lei da rolha: bombeiros que fazem partos em ambulâncias a caminho dos hospitais apenas podem dizer se é menino ou menina à Protecção Civil

Vítor Elias 28 de Julho de 2017

A lei da rolha alargou-se. O IP sabe que os bombeiros que costumam fazer partos a grávidas do interior que têm de dar a volta ao mundo em 80 dias para chegarem a um hospital no litoral não poderão dizer aos pais se o bebé é menino ou menina, devendo apenas reportar a informação confidencial à Protecção Civil para ser entregue a um “focus group” que avaliará o impacto que o sexo do bebé tem na popularidade do Governo. Caso o casal desejasse uma menina e afinal o bebé seja um menino, António Costa vai de férias para fugir às responsabilidades.

Tópicos

Últimas

Do arquivo