Novo goleador portista Soares foi guarda-redes, vendedor de gelados e intermediário na fusão da PT com a brasileira Oi

Vítor Elias 6 de Fevereiro de 2017

O novo goleador do FC Porto sofreu muito até chegar ao ataque azul-e-branco. No seu Brasil natal, Soares foi guarda-redes frustrado, vendedor de gelados, empregado de room servisse no hotel de Copacabana onde o Miguel Relvas passava os revéillons, candidato presidencial (como metade da população brasileira) e intermediário entre José Sócrates, Lula da Silva e Zeinal Bava para a misteriosa fusão da PT com a Oi, negocio que liquidou a PT. Foi nessa altura que Soares percebeu que tinha faro para matador.

Tópicos

Últimas

Do arquivo