É preciso que António tudo mude para que tudo continue na mesma

Vítor Elias e Mário Botequilha 2 de Janeiro de 2017

Ilustração: Marco Neves

As notas do novo secretário-geral da ONU

Aquecimento global

A ONU deve promover, com a ajuda de Nossa Senhora do Largo do Rato, a colocação de estacas em Reguengo do Alviela e verificar se a água sobe ou se desce. Se descer, Donald Trump tem razão e devemos queimar mais recursos naturais, como esquilos e curgetes, que gerem energia para carregarmos os telemóveis. Se subir, o Conselho de Segurança deverá aprovar uma resolução para: 1) Obrigar Cristiano Ronaldo a fazer carpool com os supercarros; 2) O megagasoduto transiberiano entre Yakutsk e a agência do BCP em Xinjiang passa a adoptar o método de tenda lacustre do parque de campismo da Caparica para evitar molhar-se.

Médio Oriente

É possível, numa geração, conseguir que judeus, muçulmanos e cristãos concordem que as gémeas Mortágua não são a mesma pessoa. A ONU deve envidar todos os esforços para sentar à mesma mesa muçulmanos, lojas chinesas que vendem tintas para arremesso e o chef José Avillez.

Adenda (ideia que tive hoje ao lavar os dentes): abrir uma “concordaria”, um espaço de concórdia, na Esplanada das Mesquitas em Jerusalém, entre uma pizaria e uma acepiparia, com cante alentejano kosher e halal ao vivo e limonadas.

Administração Trump

Ligar à Angelina a ver se ela está disponível para ir à tomada de posse do Presidente Trump com bilhetes com vista para o fosso de orquestra. A Assunção Cristas pode olhar pelos miúdos. Viagem em regime de ponte aérea para que ela passe por Moscovo, Berlim, Alcochete e Seixal e resolva a disputa de esferas de influência entre Putin e a UE e entre Bruno e o Benfica. Sendo actriz, pode ficar alojada na Cornucópia, porque diz que aquilo entretanto ficou vago. Ligar ao João Soares das salutares bofetadas ou ao homem do facalhão dos kebabs do Cais do Sodré para garantir a segurança.

Adenda (ideia que tive hoje a apertar os atacadores): a Angelina que diga ao Putin que fechamos os olhos à Ucrânia e Síria, e até pode recuperar o estatuto da URSS, se não divulgar mais fotografias a pescar lúcios em tronco nu no meio da tundra com um pé em cima de um urso e outro sobre um poster de campanha da Hillary Clinton.

“Brexit”

A saída do Reino Unido da UE é um gráfico de Medina Carreira quando comparada com os grandes flagelos do nosso tempo. A ONU não deve temer a tomada de medidas mais musculadas ao confrontar-se com a guerra civil no PSD, a proliferação de hostels premiados internacionalmente e os surtos epidémicos de hamburguerias gourmet e de betas fadistas. Há que estancar na origem a quantidade avassaladora de economistas na televisão e de organizações lusófonas em que Teodoro Obiang quer inscrever a Guiné Equatorial, como a Região de Turismo do Oeste, a Fenprof ou a sociedade de advogados de José Miguel Júdice.

Adenda (ideia que tive hoje a fazer o nó da gravata): Síria – Era giro resolver aquilo.

Acta da reunião do Conselho de Segurança da ONU com a presença da secretária-geral Kristalina Georgieva do secretário-geral António Guterres

  1. Ao vigésimo terceiro dia de Dezembro reuniu-se o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, doravante denominada nesta acta por ONU, tendo comparecido os membros permanentes e os quatro membros do novo secretário-geral, o Sr. António Guterres, que aqui veio expor a suas ideias para mudar o mundo e construir uma comunidade internacional mais de acordo “com a Internacional Socialista e os segredos de Nossa Senhora de Fátima”.
  2. O ex-secretário-geral Ban Ki-moon entrou na sala à procura do telemóvel. Disse que não o encontra em lado nenhum e não quer voltar para a Coreia do Sul sem ele. O ex-secretário-geral da ONU pediu ao novo ex-secretário-geral da ONU para lhe ligar e ver se o telemóvel apita algures na sala o ringtone do Gangnam style, e o novo ex-secretário-geral da ONU ligou mas não se ouviu nada. O senhor Ban Ki-moon disse que deve ter-se esquecido dele na sala de reuniões do Goldman Sachs e foi-se embora.
  3. O Presidente dos EUA entrou na sala. Donald Trump disse que já leu no Twitter que não são os presidentes dos países do Conselho de Segurança que se reúnem na ONU, mas que ele faz tudo sozinho e não quer saber. O Presidente dos EUA sentou-se e perguntou onde está o chinês. O secretário-geral perguntou qual chinês e o Presidente Trump respondeu o que parece o Jackie Chan e manda nesta bodega. O secretário-geral explicou ao Presidente Trump que o senhor Ban Ki-moon já não é secretário-geral e apresentou-se ao Presidente Trump, que disse que não sabe quem ele é porque o secretário-geral não tem Twitter.
  4. O Presidente Putin entrou na sala em tronco nu e disse que como já todos devem ter percebido ele não quer saber da ONU para nada e que apenas veio conhecer o novo secretário-geral por delicadeza. O secretário-geral apresentou-se e o Presidente Putin disse que conhece bem Portugal porque a frota e a aviação russas costumam passar por lá à vontade. Depois, o Presidente o presidente Trump passou ao Presidente Putin um cheque pelas notícias falsas. O secretário-geral, que é católico, disse que as notícias falsas são iguais às pessoas que gostam de mexer em cocó, mas o Presidente Putin deu um recibo verde ao Presidente Trump e foi-se embora.
  5. A chanceler Merkel entrou na sala a dizer que já é tempo de a Alemanha estar representada no Conselho de Segurança e o secretário-geral disse para ela se sentar porque os portugueses recebem sempre muito bem os turistas. Alguém bateu à porta e a chanceler Merkel disse que esperava que fossem refugiados, mas afinal eram os filhos da senhora Jolie que vieram dar um beijo ao tio António. A chanceler Merkel perguntou aos filhos da senhora Jolie se não queriam um visto de asilo na Alemanha, mas eles foram embora comprar gomas.
  6. A senhora Le Pen entrou e disse que mais valia entrar já porque toda a gente sabe que ela vai ganhar as eleições e o secretário-geral disse para ela se sentar porque os portugueses recebem sempre muito bem os turistas. O secretário-geral apresentou-se e a senhora Le Pen disse que gosta de celebrar as vitórias eleitorais num restaurante português onde come pezinhos de coentrada, carne de porco à alentejana e todas essas receitas com porco que os muçulmanos odeiam.
  7. O secretário-geral disse que já todos tinham bebido o café e portanto deveriam discutir a questão da Síria e que, para simplificar, ele passaria a tratar as tropas do Bashar al-Assad por “sampaístas” e os rebeldes por “soaristas”. O Presidente Trump, que esteve ligado ao Twitter desde que chegou, mostrou então uma fotografia antiga do secretário-geral e acusou-o de ter um bigode de mariachi.
  8. O secretário-geral insistiu na discussão sobre a questão síria, mas o senhor Ban Ki-moon voltou à procura do telemóvel e ficou espantado por todos estarem na sala quando toda a gente sabe que as reuniões do Conselho de Segurança se realizam no escritório do senhor George Soros e que o Presidente Xi Jinping já estava lá à espera há horas. Então o Presidente Trump, a chanceler Merkel e a senhora Le Pen foram-se embora e o secretário-geral ficou sozinho a jogar Sudoku.

Tópicos

Últimas

Do arquivo