Filme com Alberto João Jardim vai custar 300 milhões de euros ao erário público

Mário Botequilha 22 de Setembro de 2016

Boas notícias para o cinema português: vem aí o filme “O feiticeiro da Calheta”, a história de vida de um poeta madeirense defensor do Estado Novo. Jardim faz de pastor e mandou vir helicópteros e manadas de gnus para emprestar maior realismo à sua personagem. “Não quero que falte nada à fita. Venha tudo o que for preciso. Paga o continente porque a fita é um custo da insularidade”, reclama Jardim. O filme deverá custar 300 milhões ao orçamento de Estado, mas a região espera atrair turistas ao arquipélago e recuperar cerca de 14 euros em bilhetes para o museu do CR7 no Funchal.

Tópicos

Últimas

Do arquivo