Relatório interno do FMI conclui que resgate a Portugal devia ter ido além de Passos Coelho

Mário Botequilha 29 de Julho de 2016

Um organismo interno do Fundo Monetário Internacional avaliou negativamente as intervenções do FMI em Portugal, Grécia e na Irlanda. A conclusão surpreendente é que a coisa correu mesmo mal e que há mais pontos negativos do que positivos a tirar da experiência feita à algibeira dos contribuintes portugueses. O estudo considera, na página 78, ponto 34.B, que Lagarde devia ter ido além de Passos Coelho, quando o governo de Passos Coelho disse que Portugal tinha de ir além da Troika, e que Carlos Moedas, Vítor Gaspar, Paulo Portas, Cavaco Silva ou Maria Luís Albuquerque é que deviam ter sido os substitutos de Strauss-Kahn no FMI.

Tópicos

Últimas

Do arquivo