Beijo gay do Príncipe Carlos faz com que depois da morte da Rainha Isabel II a Inglaterra continue a ser governada por uma Queen

António Marques 12 de Junho de 2016

Tal como em Inglaterra o pasquim sensacionalista Daily Mail foi o único jornal inglês que publicou a bombástica notícia do beijo gay do Príncipe Carlos de Inglaterra (algo nos diz que depois disto os conservadores monárquicos portugueses do blogue 31 da Armada que idolatram a Coroa Inglesa vão passar a apoiar o republicano Jeremy Corbyn) com um jovem com o espectacular título: “Charles caught kissing boy toy!“, em Portugal o pasquim sensacionalista Correio da Manhã foi o único jornal português que publicou a notícia do beijo gay do Príncipe Carlos. É muito estranho que em todos os restantes jornais portugueses, em todas as televisões portuguesas, em todas as rádios portuguesas, em todos os blogues portugueses e até por incrível que pareça em todas as revistas cor-de-rosa de mexericos e escândalos, estilo Nova Gente, TV 7 Dias, TV Mais, Maria ou Expresso, o beijo gay do Príncipe Carlos não tenha sido noticiado. Pelos enormes cojones demonstrados, o Correio da Manhã é a partir de agora para o Inimigo Público o melhor e mais conceituado jornal português, Tânia Laranjo cuja pele cheira a pétalas de rosa, é melhor jornalista de investigação do que Bob Woodward e Carl Bernstein e o director Octávio Ribeiro é um ícone do jornalismo maior do que Walter Cronkite.

Tópicos

Últimas

Do arquivo