Depois de marcha lenta dos taxistas contra a Uber, bibliotecárias organizam marcha lenta contra o Google

João Henrique 29 de Abril de 2016

As associações que representam actividades profissionais mais antigas estão a aproveitar o protesto dos taxistas para desafiar a modernidade. A Associação Nacional dos Bibliotecários acusa o Google de não ter licença legal para exercer a actividade de motor de busca em Portugal. Mas os protestos não se ficam por aqui. Os produtores de ábacos já marcaram uma marcha lenta contra o Excel, o Sindicato das Mulheres da Vida marcou uma manifestação contra o Tinder, os pombos-correio estão em greve de fome contra o WhatsApp, a Confederação Nacional dos Galos de Barcelos marcou uma marcha lenta para pedir o fim da aplicação AccuWeather e a Associação Nacional dos Traficantes de Escravos agendou uma jornada de luta contra as empresas de trabalho temporário.

Tópicos

Últimas

Do arquivo