Ex-presidente do Eurogrupo e actual presidente da Comissão Europeia diz que ‘pecou contra a dignidade de Portugal’ e que ‘esta cambada dirigente não tem vergonha na cara’

Mário Botequilha 19 de Fevereiro de 2015

Uma pessoa que foi presidente do Eurogrupo durante 8 anos, duas vezes presidente do Conselho Europeu, ministro das finanças e primeiro-ministro de um país membro da União durante uma porrada de anos e que é o actual presidente da Comissão Europeia apareceu ontem a dizer que “pecámos contra a dignidade dos povos, especialmente na Grécia, em Portugal e também na Irlanda. Eu era presidente do Eurogrupo e pareço estúpido em dizer isto, mas há que retirar lições da história e não repetir os erros”. Juncker, parecendo estúpido, também desancou em Durão Barroso e na fé cega na Troika e terminou dizendo que “esta cambada de dirigentes indigentes europeus não tem um pingo de vergonha na cara e, se eu alguma vez tiver um bocadinho de poder que seja, hei-de denunciar isto. Estou chateado, pá, pois estou”, diz o senhor. MB

Tópicos

Últimas

Do arquivo