Capa soft do Charlie Hebdo depois do massacre não ofendeu os muçulmanos mas ofendeu os “Je suis Charlie“ que exigiam uma capa hardcore contra o Islão

António Marques 14 de Janeiro de 2015

O mundo estava expectante sobre duas coisas: qual seria a capa do Charlie Hebdo depois do atentado terrorista de Paris e qual seria o conteúdo do briefing do ministro Marques Guedes. A esperada capa, que é muito soft, mostrando o profeta Maomé , de lágrima no olho, com o cartaz “ Je suis Charlie “ e a legenda “ Está tudo perdoado “, não ofendeu o mundo muçulmano mas ofendeu os já irritantes “ Je suis Charlie “ : Epá, estava à espera de uma capa agressiva que gozasse à brava o Islão , estilo o Maomé a levar um pontapé no cu de um cartoonista ! Nunca mais compro o Charlie Hebdo , que aliás nunca comprei, eu sou mais A Bola ! “, afirmou um ofendido “ Je suis Charlie “ . A.M

Tópicos

Últimas

Do arquivo