Mário Soares considera que o que foi feito a Sócrates ‘não pode passar em vão’ e não percebe porque antigo PM não pode esperar julgamento em prisão domiciliária na casa de luxo de Paris

Mário Botequilha 25 de Novembro de 2014

O fundador do PS está zangado. Hoje, no DN, dedica um parágrafo a José Sócrates, dizendo que o que aconteceu ao antigo PM “não pode passar em vão”. Soares, sabe o INIMIGO, defende que Sócrates devia ter sido ouvido pelo juiz José Lello, e não por Carlos Alexandre, e não veria com maus olhos que a medida de coacção ficasse pela prisão domiciliária, de preferência na casa de luxo que Sócrates manteve em Paris. “Depois, se fosse necessário, o motorista ia lá levar-lhe uma mala com uma muda de roupa e uma escova de dentes e assim”, defende o patriarca do PS. MB

Tópicos

Últimas

Do arquivo