Christine Lagarde afasta euforias em Portugal e lembra que a crise ainda não acabou e que o Benfica ainda não é campeão

António Marques 7 de Março de 2014

A directora do FMI, Christine Lagarde refreou euforias e defendeu que a crise em Portugal não acabou (a vida dá mais voltas do que um parafuso, agora o FMI e o Papa Francisco são adorados pelo PCP e BE e são odiados pelo PSD e CDS!) e que é preciso manter as reformas estruturais por muitos anos (What the fuck?! Será que o Vítor Gaspar já manda no FMI e em Lagarde como mandava no Governo e em Passos?!).

Lagarde diz que reduzir salários não é a solução para baixar os custos laborais das empresas (para o Governo, a redução de salários e reformas cura tudo, é estilo aspirina!) nem para aumentar a competitividade do país (e não venham com as tretas do Bangladesh! Uma criança de 3 anos ganha 5 euros por mês na fábrica da Nike mas 5 euros no Bangladesh equivale aos 50 mil euros que Eduardo Catroga ganha na EDP em Portugal!). Lagarde, provando que lê o Financial Times mas também lê A Bola, deixou um aviso ao Governo: “É bom não festejar antes de tempo, os mercados podem marcar um golo a Portugal no minuto 90+ 2, como o Kelvin fez ao Benfica!“. A.M

Tópicos

Últimas

Do arquivo