Nuno Crato garante que a professora que filmava pornografia em escola pública filmaria comédias românticas em escolas privadas

Vítor Elias 13 de Novembro de 2013

A professora que está a chocar Mértola por ter filmado pornografia na escola primária local está apenas a ser vítima do encimo público, segundo o ministro Nuno Crato.

“É frustrada porque é funcionária pública e descarrega no porno. Se fosse contratada por uma escoa privada, usaria a sala de aula para filmar comédias românticas ou cinema francês a preto-e-branco. Se se despedir da função pública, ainda lhe dedicam um ciclo na Cinemateca”, garantiu. VE

Tópicos

Últimas

Do arquivo