Igreja não presta contas às Finanças porque Vítor Gaspar é unanimemente considerado um demónio

Vítor Elias 25 de Junho de 2013

Soube-se agora que a Igreja portuguesa não presta qualquer espécie de contas às Finanças.

Mais do que um privilégio da Concordata, o IP apurou que a atitude da Igreja prende-se com o facto de Vítor Gaspar ser considerado um demónio chifrudo pela maioria da população, pelo que os padres nunca poderiam dialogar com ele. Mário Soares já disse mesmo ter visto na testa do ministro das Finanças a inscrição “666”, mas Vítor Gaspar disse que é apenas o valor do défice, em milhares de milhões de euros, para 2013. VE

Tópicos

Últimas

Do arquivo