Gravidezes sucessivas no Governo provam que o poder é de facto o maior dos afrodisíacos

Vítor Elias 11 de Janeiro de 2013

O velho adágio de Henry Kissinger, segundo o qual “o poder é o maior dos afrodisíacos”, ficou definitivamente provado com o actual Governo português, que já vai na segunda gravidez, nomeadamente a da subsecretária de Estado-adjunta Vânia Dias da Silva.

Os nossos governantes andam loucos de desejo e calcula-se que cada recomendação que recebem do FMI equivale à ingestão de três quilos de ostras do Sado. Até ao final do ano, com o poder crescente de Vítor Gaspar, espera-se que o Ministro das Finanças tenha um harém superior ao do mítico líder otomano-mongol Tamerlão, O Grande. VE

SIGA-NOS NO FACEBOOK

Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo