Escolher se querem receber subsídios em duodécimos é a única réstia de livre arbítrio que os portugueses ainda têm

Vítor Elias 10 de Janeiro de 2013

Receber metade dos subsídios de férias e Natal numa única tranche ou já, dividido em duodécimos, será uma escolha pessoal dos funcionários privados.

Aliás, será a única escolha pessoal que farão em todo o ano de 2013, pois tudo nas suas vidas será, no resto, decido pelo Governo, pelo FMI e por um polvo alemão chamado Hanz que prevê se os portugueses vão sair da Zona Euro ou entrar em bancarrota técnica. Ainda assim, Vítor Gaspar considera que os portugueses têm demasiada responsabilidade pessoal: se fosse por ele, apenas poderiam decidir se querem receber os subsídios em acções do Banif ou em produtos alimentares fora do prazo de validade. VE
SIGA-NOS NO FACEBOOK

Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo