Jorge Coelho abandona a Mota-Engil para não a transformar numa betonilha

Vítor Elias 8 de Janeiro de 2013

A um ano do final do seu mandato, Jorge Coelho abandonou a presidência da Mota-Engil.

Tal como o seu grande amigo António Guterres abandonou a liderança de Portigal para “não transformar o país num pântano”, também Jorge Coelho deixa de ser CEO da construtora para, como explicou em declarações ao IP, “não a deixar feita em betonilha”. Jorge Coelho não adiantou mais pormenores e ninguém sabe ao certo a razão da sua saída, mas pode estar em causa uma troca estilo Izmailov-Miguel Lopes: António Lobo Xavier vai para a comissão de avaliação do IRC, Jorge Coelho vai para o seu lugar na “Quadratura do Círculo” e Pacheco Pereira vai matar patos com a sua AK-47 para o Jardim do Campo Grande. VE

SIGA-NOS NO FACEBOOK

Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo