Constitucional vai avaliar se intenção de Passos de ‘ir às pensões, saúde e educação’ é sexo consentido

Mário Botequilha 29 de Novembro de 2012

Passos Coelho, ontem em entrevista à TVI, disse que era “não era possível não ir” às pensões, prestações sociais ou saúde e manifestou o inesperado desejo de ir às taxas moderadoras no ensino público obrigatório.

A nova linha política “Ambrósio, apetece-me algo” do governo deverá obrigar à contratação de uma junta médica de urologistas para assessorar a Troika. MB

SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo