Constituição foi raptada e é vítima de sevícias

Mário Botequilha 3 de Novembro de 2012

António José Seguro recebeu ontem uma orelha da Constituição da República numa caixa de gomas. A lei fundamental está refém de um grupo violento não identificado que ameaça atirá-la ao Sado com um pé amarrado a um tetrápode de betão e outro à colectânea integral dos livros de José Rodrigues dos Santos.

A acompanhar a orelha vinha um segundo pedido de resgate, com letras recortadas de crónicas de José Manuel Fernandes e do catálogo D-Mail, onde se lia “páGem o rESgati ou a consTITIcão MorRe” e uma foto da refém a segurar o “Correio da Manhã” desse dia. O primeiro pedido de resgate, recorde-se, foi enviado para o email de Cavaco e considerado como SPAM por também prometer Viagra a metade do preço. Num contacto telefónico, Seguro pediu uma prova de que a Constituição está viva e ouviu-a citar o Artigo 93 e que “São objectivos da política agrícol.“ mas a comunicação foi subitamente cortada. As próximas 48 horas são cruciais para evitar que a constituição acabe a servir de recife aos achigãs ou como calço de uma cristaleira no gabinete de Miguel Relvas. MB

SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo