Juros da dívida sobem nos prazos de 2, 5, 10 anos e S. Nunca à Tarde

Mário Botequilha 27 de Outubro de 2012

O relatório do FMI da quinta revisão do memorando de entendimento, já está a ter consequências.

Os juros da dívida soberana portuguesa a dois, cinco e dez anos subiram, bem como os juros dos prazos preferidos dos políticos portugueses, o S. Nunca à Tarde, o Quem Vier a Seguir que Feche a Porta e o Para Lá do Cu de Judas. MB

SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo