Instituto Português do Sangue faz análises extra para despistar a Peste Negra em dadores que tenham regressado de viagens no tempo

Vítor Elias 26 de Julho de 2012

As viagens dos portugueses ao estrangeiro durante as férias de Verão preocupam o Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST), que começou a fazer análises de despiste da malária a todos os dadores regressados de zonas endémicas como o Brasil, Angola e Moçambique.

Mas, como o seguro morreu de velho e com testamento vital assinado, o IPST não coloca de parte a possibilidade de que alguns portugueses viajem, não apenas no espaço, mas também no tempo, estando assim a fazer análises de despiste da peste bubónica a todos os dadores eventualmente regressados de séculos endémicos, como os séculos XIV e XVIII, bem como o século XIX, caso os portugueses tenham visitado nas férias a China de 1885. O IPST também está atento aos portugueses que aproveitem as férias para viajarem – através de auto-análise circunspecta – ao interior das suas próprias mentes, estando a realizar aos dadores análises de despiste do Complexo de Édipo. VE

SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo