Espanha acaba com a siesta e Portugal proíbe o sono diário

Mário Botequilha 23 de Julho de 2012

O governo espanhol decidiu combater a quebra de receitas do comércio com o fim da pausa da siesta/matiné sexual entre as 14 e as 16 horas.

Por cá, o Álvaro avançou com uma proposta que pretende estimular a produtividade através do cancelamento dessa prática antiquada e esquerdista que consiste em dormir oito ou mais horas por dia. “No Canadá, já ninguém faz isso”, explicou o ministro da economia ao INIMIGO PÚBLICO e a três mirones de obras que se puseram a ouvir a conversa. “Além disso, o óó dá má imagem do país lá fora. Imaginem que o FMI ou o Roman Abramovich ou um comunista chinês telefona para cá às três da manhã e ninguém atende porque foi tudo a serrar o galho, excepto o professor Marcelo. Não pode ser. Para vencer a crise, temos de fazer como os deputados, que só chamam o João Pestana nos debates”, reclama o Álvaro. MB

SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo