Beneficiários do Rendimento Social de Inserção obrigados a fazer trabalhos pouco dignos na área da enfermagem

Fábio Benídio 19 de Julho de 2012

O ministro da Solidariedade e Segurança Social, Pedro Mota Soares, anunciou que os beneficiários do RSI vão passar a ser obrigados a procurar trabalho, fazer formação profissional, fazer parte da plateia da ‘Praça da Alegria’ (por muito que lhes custe ouvir as músicas do Padre Borga) e desempenhar tarefas úteis à sociedade, nomeadamente colocar-se de cócoras para servir de apoio de pés em salas de espera, provar comida de governantes para se certificar que não está envenenada e bater palmas ao Luís Filipe Vieira nas Assembleias-gerais do Benfica para apresentação do Relatório de Contas.

A maioria dos beneficiários aceita as novas regras, mas há coisas que se recusam fazer, mesmo correndo o risco de perderem os subsídios. “Não me peçam para fazer o serviço de uma enfermeira e ganhar 3,96 euros à hora porque isso seria indigno e desumano. Ponham-me a limpar matas ou a limpar urinóis públicos com a língua, mas na enfermagem não”, afirmou um beneficiário do RSI. FB

SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo