PCP tentou levar moção de censura até aos penalties

Mário Botequilha 25 de Junho de 2012

A moção de censura do PCP ao governo foi hoje chumbada, como já tinha sido previsto por vários polvos, chocos e lulas.

O Partido Comunista entrou bem no debate, com incursões pela esquerda, extrema-esquerda, baixa-esquerda, média-esquerda, alta-esquerda e esquerda bem passada, e o governo defendia com Relvas ao telefone, Portas a jogar Angry Birds e Gaspar a tentar conter o sono. O debate foi a prolongamento, devido às habituais intervenções para lá do tempo regulamentar das várias bancadas, que insistiram em argumentações de fino recorte retórico que a História registará e guardará nos extras da edição blu-ray do best of do “Tempo Extra” de Rui Santos. A moção estava trepidante e chegou a pensar-se que ia para os penalties mas Assunção Esteves apitou, atribuiu a vitória ao governo e mandou toda a gente para os balneários. Na flash-interview, Mister Jerónimo acabou por reconhecer que os seus pupilos baquearam face ao último reduto da maioria e que ainda não tinha sido desta que Bernardino Soares tinha conseguido marcar um penalty à Panenka. MB

SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo