Mudanças climáticas fazem com que pinguins do Antárctico comam camarões, bebam minis e vejam o Euro 2012 em ecrãs gigantes

António Marques 21 de Junho de 2012

Cientistas descobriram que a ementa do Pinguim Barbicha, que se distingue do Pinguim Imperador por ser mais pequeno e por ter na cara uma penugem igual a uma barba sem bigode (os pinguins barbicha são a única espécie que canta o “Trova do vento que passa” de Adriano Correia de Oliveira), está a mudar devido ao aquecimento das águas.

Têm surgido no Pólo Sul espécies que antes só se encontravam em latitudes mais quentes, como camarões, lagostins ou boazonas brasileiras iguais à Adriana Lima. Devido ao aquecimento, os pinguins comem camarões, bebem minis Sagres e assistem aos jogos do Euro em ecrãs gigantes (o aquecimento fez com que também já existam pinguins no Pólo Norte, adeptos do Porto, que odeiam os pinguins do Pólo Sul, adeptos do Benfica). O mundo é curioso, com a mudança climática, os pinguins começaram a comer camarão, com a mudança política de Passos Coelho, os portugueses deixaram de comer camarão. A.M

SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo