Governo passa a tratar os embriões por ‘quistos’

Vítor Elias 4 de Abril de 2012

Para poder cortar 30% do valor das baixas por gravidez, o Governo vai passar a tratar as grávidas como doentes, inserindo-as assim na categoria de simples “baixa médica”.

Assim, não apenas as grávidas serão consideradas doentes como os embriões que trazem no ventre passarão a ser, aos olhos do Ministério da Segurança Social, “quistos” que evoluem durante nove meses, até que por fim a doente, na sala de partos, dá à luz um “tumor” de três ou quatro quilos. Os homens que engravidam as mulheres passarão também a ser considerados “transmissores da doença”, podendo os seus testículos a qualquer altura serem colocados em quarentena por ordem da Direcção-Geral de Saúde. O Governo pede aos portugueses que deixem em consonância com as novas orientações de perguntar às “doentes” se “é menino ou é menina?”, mas antes de “é tumor ou é tumora?”, devendo ainda deixar de dizer “parabéns” para dizer “as melhoras”. Por último, a pílula do dia seguinte deixará de ser considerada um método contraceptivo para ser considerada um “antibiótico”. Pedro Mota Soares falou ao IP e garante que a baixíssima natalidade nacional deve ser entendida como “o maior sucesso na medicina portuguesa desde a erradicação da Peste Negra”. VE

SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo