Depois dos eurocépticos, nascem os euroateus e os euroagnósticos

António Marques 8 de Dezembro de 2011

São cada vez mais as vozes que acreditam tanto no futuro do Euro como no futuro do casamento de José Raposo e Sara Barradas.

Um país que sempre foi eurocéptico foi o Reino Unido, que nunca aderiu ao Euro, mantendo a libra, nem nunca aderiu à péssima música de Portugal, Espanha, Alemanha ou Itália, mantendo grandes grupos como os Suede, Smiths, Blur, Primal Scream ou Pulp. Agora há na UE outros eurocépticos como a Roménia, Estónia, Lituânia, Letónia, Eslováquia ou Eslovénia, mortos de fome que já cagam sentenças na UE! A Estónia a pôr em causa o Euro é como um sem abrigo ser convidado por uma família solidária para a ceia de Natal e depois queixar-se que o bacalhau não é da Noruega! Parece que a Lituânia, a Albânia, a Bielorrússia e a Moldávia já pediram a adesão à UE. Não tarda nada, o trolha moldavo que trabalha hoje nas obras de Lisboa tem mais peso na UE que Passos Coelho. A.M




SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo