ASAE detecta 500 postos de venda de cópias ilegais de livros, que vendem obras como “Catch 44”, “Os Mayas”, “Memória de rinoceronte“, “O memorial do mosteiro“ ,“Os pénis de Judas” e “Massagem”

António Marques 5 de Novembro de 2011

Há o mito que os portugueses são o povo que menos livros lê no mundo. O IP duvida, não estamos a ver os habitantes do Sudão e Libéria agarrados à “Pastoral Americana“ de Philiph Roth!

Descobriu-se que os portugueses são o povo que mais livros lê no mundo, só que compramos obras falsificadas, com preço de capa mais baixo. Uma operação da ASAE na Feira de Carcavelos descobriu as obras “O UHF“, “Alexandra Ómega“, “De Profundis, Tango Lento” ou “Sapateira”, de José Cardoso Pires; “O Mistério do IP 5“, “As Minas de Salomão e Mortadela“, “Correspondência de Marques Mendes“ ou “O Primo Basílio Horta”, de Eça de Queiroz. Nos autores estrangeiros, encontrou-se “O Retrato de Dorian Gay”, de Oscar Wilde, “Tchau às Armas “ de Hemingway ou “Morte em Massamá” de Thomas Mann. Já a falsificação de “O Homem sem Qualidades”, de Robert Musil, chama-se “Ministro Miguel Relvas”. AM



SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo