Máquinas Multibanco estão mais irónicas com a crise e desatam a rir sozinhas depois de cliente que consultou o saldo virar costas

João Henrique 4 de Novembro de 2011

As máquinas Multibanco, muito mais do que qualquer jornalista, comentador, economista ou politólogo, acompanham de forma recatada há décadas tudo o que acontece na economia real, são profundas conhecedoras da realidade portuguesa e têm uma visão objectiva e estrutural da nossa vida material.

“Sou uma máquina mas gozar com a miséria alheia é irresistível. Chegam aqui todos pimpões a carregar na tecla de levantamento de 200 euros e depois é vê-los todos enconados a consultar o saldo porque lhes dei uma nega. “Olha querido, vê lá a quantas andas, é que só tens 17 euros na conta. E não podes fazer levantamentos porque eu não tenho notas de 10”. O cliente ali e eu a cochicar baixinho com a minha colega do lado para ele não ouvir: “Olha-me este teso de merda”. Torna-se complicado conter a gargalhada. Algumas vezes tenho de respirar fundo para não me desatar a rir na cara do cliente. Deixamos o gajo afastar-se e depois rimos alto. Uma vez quase que fomos apanhadas em flagrante”, testemunhou uma máquina Multibanco. JH



SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo