DECO recebe 50 mil cartas por dia com reclamações de eleitores do PSD que se queixam que compraram um Passos Coelho e receberam um Sócrates

João Henrique 24 de Outubro de 2011

Os eleitores portugueses que compraram Pedro Passos Coelho já acabaram de rebentar todas as bolhinhas de plástico que acondicionavam o candidato a primeiro-ministro dentro da embalagem e estão agora a prestar mais atenção ao desempenho do produto.

As queixas começaram a chegar à DECO em número avassalador esta semana, ultrapassando o número de queixas contra bancos, seguradoras, PT e ZON. “Eu comprei o Passos Coelho no dia 5 de Junho. Durante o Verão não o usei. Entretanto, o Passos Coelho teve uma avaria, chamada de Orçamento de 2012. Eu fui à loja onde comprei o Passos Coelho e disse aos senhores que comprei um primeiro-ministro que ia reduzir a despesa do Estado e afinal deram-me um primeiro-ministro que não funciona e que só aumenta impostos. Até levei a caixa e tudo. Disseram-me que não dava para arranjar e que aquilo é mesmo assim. Eu pedi para me desligarem a máquina para evitar mais complicações, mas eles disseram-me que só dá para desligar daqui a 4 anos. Nunca mais compro nesta loja. Filhos da puta, enganaram-me mesmo bem”, queixou-se uma cliente. JH



SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo