Cafés que não passam recibo das bicas e imperiais protestam contra subida do IVA que nunca deram ao Estado

Mário Botequilha 21 de Outubro de 2011

A restauração está à beira de um ataque de nervos, como dizem sempre nestas situações 998 em cada mil jornalistas.

O aumento do IVA dos restaurantes para a taxa máxima de 23%, prevêem as associações do sector, é a condenação à morte do negócio, em especial dos cafés, cervejarias, tascas e afins que não passam recibo dos milhares de bicas e imperiais que servem por mês e que por isso organizaram um protesto contra a subida do IVA que nunca chegaram a devolver ao Estado. “Isto é um autêntico Timor”, diz o senhor de pêra da AHRESP. “Só que com couvert de manteiga e duas fatias de broa a cinco euros. Mais IVA.” MB



SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo