Kadhafi morreu mas Gaddafi está vivo e anda à solta

João Henrique 20 de Outubro de 2011

O deposto líder líbio Muammar Khadafi foi hoje morto na batalha de Sirte. Milhares de parques de campismo em todo o mundo já colocaram as bandeiras a meia haste em sua homenagem e as lojas Decathlon já começaram a vender a tenda Quechua Khadafi, edição oficial autografada pelo Steve Jobs do campismo.

Mas a verdade é que a guerra ainda não está ganha. Falta aos comandantes militares do governo de transição da Líbia vencerem o poderoso exército linguístico que protege o Líder Fraternal e Guia da Revolução da Líbia. “Não há como traduzir para o alfabeto romano ou latino os nomes árabes. Kadhafi é especialmente complicado porque tem sons que não têm equivalente noutros idiomas. É por isso que o nome dele pode assumir 112 formas diferentes. Apanhámos e matámos o Kadhafi mas falta agora capturar Qaddafi, Al-Gathafi, al-Qadhafi, Al Qathafi, Al Qathafi, El Gaddafi, Gadafi, Gaddafi, Gadhafi, Gathafi e Ghaddafy. E depois há ciladas. Juntam-se o Gheddafi, Kadaffi, Kad’afi e al-Kaddafi para tentar libertar o Khadafy e muitas vezes o Khaddafi pode dar dicas sobre o nosso paradeiro e acabamos por não conseguir apanhar o Qudhafi, o al-Khaddafi ou o al-Qadhdhafi. E muitas vezes apanhamos o Muammar Kadafi que sai repetido só para baralhar. O primeiro nome também baralha muito. Alguém me arranja um Gadhafi na versão Omar, que na versão Muammar já apanhei? Isto é muito mais complicado do que pensávamos”, lamentou um rebelde líbio. JH



SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo