Cronologia do défice da Madeira das mulatas de Zarco aos sifões de Jaime Ramos

Mário Botequilha 25 de Setembro de 2011

1419 – João Gonçalves Zarco inaugura a primeira rotunda com fonte de repuxo do mundo, em Câmara de Lobos, e manda a factura ao Infante D. Henrique, a quem chamava, escreve Oliveira Martins, “o cubano”.

1425 – Introdução da cana do açúcar na ilha e, segundo Mattoso, do primeiro defesa-central sérvio no primitivo Marítimo.

1480 – Cristóvão Colombo casa com a filha do capitão donatário do Porto Santo. A conta do bolo e da lua-de-mel chegou ao Terreiro do Paço, na semana passada, para Vítor Gaspar pagar.

1755 – Terramoto no continente provocado pelo baque do Marquês de Pombal depois de ter recebido vários molhos de contas vencidas da Madeira, um abalo estimado em 9.0 na escala de Richter ou de 4 pontos na TSU, na escala de Poul Thomsen.

1801 – Primeira invasão inglesa. Os ingleses resolvem ir-se embora, no ano seguinte, depois de Jorge III de Inglaterra ficar maluco com a quantidade de contas da Madeira que queriam que ele pagasse.

1901 – D. Carlos visita a Madeira e é alvo de um atentado regicida com os mortíferos cocktails do Machico (despesas de construção civil pagas sem recibo envolvidas em aguardente de cana).

1943 – Nasce Alberto João Jardim. Ou, como reza a lenda, por ter sido ano de eleições, é inaugurado Alberto João Jardim.

2011 – FC Porto contrata Kléber ao Atlético Mineiro, não paga nada ao Marítimo e Jardim pede um empréstimo ao Banco Mundial para ir buscar Lionel Messi. MB




SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo