Grécia pode sair do Euro todos os dias mas tem de voltar até às 21 horas

João Henrique 13 de Setembro de 2011

A União Europeia está a tentar evitar o dramatismo da saída definitiva do euro por parte de algum dos seus países membros.

A grande questão da moeda única é a tensão resultante da coabitação durante 24 horas por dia, 7 dias por semana e 365 dias por ano entre países com problemas económicos contagiosos e que acabam por não ter um escape para descontrair e preservar a sua identidade. “A saída do euro custa 11.500 euros por cada habitante por ano, sendo que a saída do euro por um dia custa 32 euros a cada habitante. Esse valor é pago a pronto no acto da saída. Quem quiser sair do Euro durante o dia, tem de me entregar a chave. Faz-se o câmbio das dívidas do país para a moeda antiga e ajusta-se as contas durante aquela tarde. Não estou aqui na portaria do Euro entre as 13 e as 17 horas porque é a minha hora de almoço. Se o país não voltar ao Euro até às 21 horas, só pode voltar no dia seguinte. E vai pagar mais um dia”, explicou Merkel. JH




SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo