Polícia brasileira investiga particular Brasil-Portugal porque é estranho que uma equipa treinada pelo Carlos Queiroz apenas tenha levado 6 golos do escrete

Vítor Elias 15 de Agosto de 2011

As autoridades brasileiras estão a investigar a possibilidade de terem existido fraudes na organização do Brasil-Portugal, em Novembro de 2008, que terminou 6-2.

A polícia brasileira começou por achar estranho que uma equipa treinada por Carlos Queiroz apenas tivesse levado 6 batatadas da poderosa selecção canarinha, quando a lógica diz que deveria ter chupado uns bons 12 ou 13 golos, até ao intervalo. Depois, a polícia brasileira achou muito estranho que a selecção portuguesa tenha marcado dois golos, quando ninguém se lembra de ter feito um único remate à baliza de quem quer que seja enquanto foi orientada por Carlos Queiroz. O único aspecto que parece ter corrido normalmente durante o jogo é o facto de Cristiano Ronaldo não ter marcado nenhum golo pela selecção, discrepância com o que habitualmente acontece que as autoridades brasileiras estão a levar em consideração. VE




SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo