Islão em crise: Meca vai passar a ter portagens

João Henrique 14 de Agosto de 2011

A dívida das empresas públicas do Islão é de 35% do PIB, valor incomportável e que vai forçar a medidas de austeridade que poderão abalar a fé de milhões de muçulmanos.

A peregrinação a Meca, um dos cinco pilares do Islão, vai passar a ser portajada. Além da portagem de 3 euros à entrada da Grande Mesquita de Meca, o peregrino, que tem como obrigação efectuar o tawaf, que consiste em realizar sete voltas à Kaaba, centro das peregrinações, vai passar a pagar 1 euro por cada volta. O Vítor Gaspar do Islão vai também proceder a alterações ao Zakat, terceiro pilar do Islão e imposto anual obrigatório para todos os muçulmanos, que vai passar de 2,5% da riqueza de cada pessoa para 50%. Muitos muçulmanos estão descontentes com estas medidas e ponderam mesmo aderir ao judaísmo, que fica mais em conta. JH




SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo