Igreja Católica portuguesa contrata padres chineses que dão 16 horas de missas por dia por 2 euros

João Henrique 27 de Julho de 2011

O mundo está a mudar. Visando a redução das despesas e a maximização das receitas, a Igreja Católica decidiu seguir o exemplo das empresas privadas e começou a fazer exploração de mão-de-obra barata e a praticar o dumping social. Recorrendo a empresas de trabalho temporário, a Igreja está a substituir os padres portugueses por padres chineses pagos com falsos recibos verdes, sem vínculo laboral à paróquia, sem seguro de acidentes de trabalho, sem folgas, sem férias, com um horário de trabalho de 16 horas por dia, sete dias por semana e ainda têm de pagar as batinas do seu próprio bolso. JH




SIGA-NOS NO FACEBOOK


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo