Transtejo substitui motores por remadores para cortar custos

Alexandre Parreira 22 de Junho de 2011

Os barcos da Transtejo vão deixar de ter motor e passarão a ser movidos por remadores. O objectivo é cortar nos custos da empresa e cumprir as exigências do memorando assinado com a “troika”. Para aumentar a capacidade dos barcos em mais de 50%, a empresa pretende ainda transportar muitos passageiros do lado de fora sentados em bóias e puxados por cordas. Mas a Transtejo não é a única empresa pública em dificuldades e a tomar medidas drásticas. Na CP, por exemplo, a empresa vai deixar de ter carris, que são caros e exigem manutenção, e passar a usar funcionários da empresa escolhidos entre aqueles de fazem greve e param mais do que uma vez por dia para fumar. É mais barato, diminui as despesas com pessoal e torna úteis muitos dos trabalhadores que até agora não faziam nada. AP

SIGA-NOS


Sexta-feira acompanhe a versão impressa do Inimigo Público com o jornal Público.

Tópicos

Últimas

Do arquivo